quarta-feira, 16 de agosto de 2017

O Congresso Internacional Slow Food acontecerá na China





7° Congresso Internacional Slow Food ocorrerá em Chengdu (China), de 29 de Setembro a 1° de Outubro. O evento reunirá inúmeros delegados que representarão o mundo todo: um total de 400 ativistas da alimentação, procedentes de 90 países.



O Congresso Internacional será um momento crucial para a vida do movimento Slow Food, que reafirmará sua orientação em termos de política, estratégias, visão e organização tanto no plano internacional como nos planos nacionais, regionais e locais.
Os desafios das mudanças climáticas estarão entre os temas centrais: embora o Slow Food considere que a agricultura e a produção de alimentos represente uma das principais causas das mudanças climáticas, considera também que podem se tornar uma das soluções para o problema. A China é crucial para o sistema de produção de alimentos mundial e pode ter um papel decisivo nesse desafio global.

A China deve enfrentar um dos maiores dilemas mundiais da agricultura: como alimentar a um quinto da humanidade com apenas 7% de superfície disponível para a agricultura. Infelizmente, no passado a China adotou soluções baseadas numa industrialização poderosa e no uso de agentes químicos, com utilização excessiva de pesticidas e fertilizantes sintéticos. É evidente que, em decorrência das dimensões do país, de sua população e economia, o impacto ambientaldesse sistema de produção repercute fortemente sobre o planeta.

A decisão do órgão executivo de Slow Food de realizar na China o 7° Congresso Internacional, vistas as razões citadas acima, considera-se uma decisão estratégica e um marco importante. Desde 1989, data de nascimento de Slow Food como associação internacional, o movimento tornou-se uma organização global para o alimento, envolvendo milhões de pessoas em mais de 160 países que trabalham para garantir que todos tenham acesso a alimentos bons, limpos e justos.
A rede de Slow Food na China trabalha, desde de 2015, em diversos projetos que visam salvar a biodiversidade e proteger a grande variedade de paisagens e habitats que caracterizam esse país.

“Graças à experiência das comunidades do alimento presentes no mundo inteiro, que defendem a resiliência dos próprios territórios locais e buscam um bem estar harmonioso e justos, nós de Slow Food podemos dar nossa modesta contribuição pautando possíveis rumos a serem percorridos” declara Carlo Petrini, fundador e presidente de Slow Food.
“Por isso, em Chengdu, devemos falar sobre clima, biodiversidade e nova economia, além de mostrar nossos mais nobres e ambiciosos projetos para encontrarmos as soluções certas para os lugares certos na hora certa. Será também preciso repensar nosso papel num mundo mutável no qual queremos e devemos ser pioneiros. São os alimentos que nos permitem viver e encontrarmo-nos, eles são nossa identidade e nossa janela para o mundo”. 


Para maiores informações, escreva para:

Gabinete de Imprensa do Slow Food Internacional
internationalpress@slowfood.it – Twitter: @SlowFoodPress

Slow Food é uma organização internacional de base que luta por um mundo onde todos possam ter acesso a um alimento bom para quem consome, bom para quem produz e bom para o planeta. O Slow Food conta com mais de um milhão de ativistas, chefs, especialistas, jovens, agricultores, pescadores e acadêmicos, em mais de 160 países. A rede tem mais de 100.000 associados Slow Food, reunidos em 1.500 convivia, os grupos locais, que contribuem ao financiamento da associação através de suas quotas de inscrição, e que participam dos inúmeros eventos e campanhas organizados localmente. Aos associados acrescentam-se as 2.400 comunidades do alimento do Terra Madre, que praticam uma produção agroalimentar sustentável e de pequena escala no mundo inteiro.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

XX Concurso dos Melhores Vinhos e Sucos de Uva de Caxias do Sul 2017




Jantar festivo marca premiação do XX Concurso dos Melhores Vinhos e Sucos de Uva de Caxias do Sul


A Secretaria Municipal da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Smapa) e a Rede de Vinícolas de Caxias do Sul (Revinsul) revelaram na noite desta quarta-feira (09/08) os vencedores da 20ª edição do Concurso dos Melhores Vinhos e Sucos de Uva de Caxias do Sul.

Uma equipe formada por 20 enólogos, enófilos, agrônomos especialistas em vinhos e representantes de laboratórios especializados realizaram a degustação e a análise sensorial e físico-química das 193 amostras inscritas. São seis categorias de vinho: tinto de mesa, branco de mesa, rosado de mesa, branco vinífera, tinto vinífera e tinto vinífera engarrafado, além da premiação do suco de uva.

Cada amostra recebeu uma nota e os melhores em cada categoria foram premiados com os troféus ouro, prata e bronze. A premiação contemplou no máximo 30% das amostras inscritas, de acordo com o regulamento. Nesta edição, nenhuma cantina ou vinícola agraciada com o troféu ficou na categoria bronze porque todas as pontuações foram acima de 85.

Também foram premiados os melhores pontuadoentre todas as amostras inscritas. Os destaques desta edição foram o vinho bordô da vinícola Sadi Sartori & Filhosnos vinhos de mesa; vinho branco vinífera Moscato Giallo, da vinícola Grutinha, nas uvas viníferas; e o suco de uva da variedade bordô, produzido pela vinícola Don Giácomo.

A titular da Smapa, Camila Sandri Sirena, ressaltou a importância do concurso que vem qualificando a produção local e incentivando oportunidades de negócios. “Nos orgulhamos destes vinhos e destes produtores que não pensam duas vezes em colocar seus produtos sob análise de uma banca qualificada. Eles confiam em seus produtos e, melhor que isso, aproveitam os resultados para se qualificarem ainda mais”, enfatiza.

No dia 14 de setembro a comunidade poderá conhecer e provar os vinhos premiados em um evento de apresentação com degustação comentada por equipe de enólogos, também nos Pavilhões da Festa da Uva.



Vencedores 2017 XX Concurso dos Melhores Vinhos e Sucos de Uva de Caxias do Sul


MELHORES PONTUADOS


VINHOS DE UVA VINÍFERA
branco vinífera Moscatto Giallo, da Vinícola Grutinha

VINHOS DE MESA
vinho bordô da vinícola Sadi Sartori & Filhos

SUCO DE UVA
bordô da vinícola Don Giácomo

VINHO BRANCO DE MESA

OURO
Vinícola São Luiz
Casa Onzi Indústria Vinícola Ltda
Ernesto Zanrosso Indústria de Vinhos Ltda
Lizot Indústria de Vinhos Ltda
Vinícola Casa Motter Ltda
Sadi Sartori & Filhos Ltda
Vinhos Don Severino Ltda
Vinícola Michelon Ltda

PRATA
Lovatel Indústria Vinícola Ltda
Vinhos Don Giusepp Ltda
Vinhos Don Affonso Ltda
Vinícola Grutinha Ltda
Indústria e Comércio de Vinhos Rossato

VINHO ROSADO DE MESA

OURO
Vinícola Zanrosso Ltda
Vinhos Don Giusepp Ltda

PRATA
Ernesto Zanrosso Indústria de Vinhos Ltda
Vinícola Casa Motter Ltda
Vinícola Pagliosa Ltda

VINHO TINTO DE MESA

OURO
Sadi Sartori & Filhos Ltda
Cantina Finn Ltda
Lovatel Indústria Vinícola Ltda
Ernesto Zanrosso Indústria de Vinhos Ltda
Vinícola Pagliosa Ltda
Vinhos Don Severino Ltda
Vinícola Grutinha Ltda
Vinhos Don Giusepp Ltda
Vinícola Casa Motter Ltda
Indústria e Comércio de Vinhos Rossato

PRATA
Vinícola Lorandi
Alcides Cláudio Bristot & Outros
Vinhos Libardi

VINHO BRANCO VINÍFERA

OURO
Vinícola Grutinha Ltda
Vinícola Don Affonso Ltda
Vinhos Don Giusepp Ltda
Casa Onzi Indústria Vinícola Ltda

PRATA
Ernesto Zanrosso Indústria de Vinhos Ltda

VINHO TINTO VINÍFERA

OURO
Casa Onzi Indústria Vinícola Ltda
Vinícola Grutinha Ltda
Ernesto Zanrosso Indústria de Vinhos Ltda
Vinícola Casa Motter Ltda
Irmãos Motter e Cia Ltda

PRATA
Vinhos Don Giusepp Ltda
Cantina Tonet

VINHO TINTO VINÍFERA ENGARRAFADO

OURO
Vinícola Grutinha Ltda
Ernesto Zanrosso Indústria de Vinhos Ltda
Vinhos Cristalle
Casa Onzi Indústria Vinícola Ltda

PRATA
Vinícola Casa Motter Ltda
Cooperativa Vinícola Forqueta Ltda
Vinícola Don Affonso Ltda

SUCO DE UVA

OURO
Vinhos e Sucos Don Giácomo
Vinícola Don Affonso Ltda
Santini Indústria Vinícola
Vinícola Tizatto
Vinícola São Luiz
Vinhos Don Giusepp Ltda
Irmãos Motter e Cia Ltda
Vinhos Libardi
Tonela Indústria e Comércio de Sucos


Fotos: Daniel Bianchi




sexta-feira, 11 de agosto de 2017

A Vinícola Peterlongo abrigará o Museu do Vinho Brasileiro






A centenária Peterlongo, de Garibaldi, na Serra Gaúcha, se prepara para lançar seu novo tour com uma coleção de objetos da comunidade e acervo próprio

Contar histórias sobre o vinho não é problema para a Vinícola Peterlongo, memória viva da vitivinicultura brasileira. Centenária, elaborou o primeiro espumante no país em 1913 e, a partir daí, deu início a trajetória da bebida no Brasil. Única a manter de pé seu patrimônio arquitetônico original do início do século passado, ostenta um emblemático Castelo nos padrões da região de Champagne (França), um túnel e uma cave subterrânea em pedras basálticas. Junto a tudo isso, a empresa, que passa por uma grande transformação, abrirá suas portas no dia 4 de outubro diferente. Um novo tour chega para incrementar o enoturismo. E o grande destaque do passeio é um memorial com objetos raros da vinícola e da comunidade.

“Escolhemos o mês da Fenachamp, a Festa Nacional do Espumante, para lançar o novo tour enoturístico da Peterlongo. A partir do dia 4 de outubro, nossos visitantes vão mergulhar no mundo do vinho, especialmente do espumante, num passeio revitalizado, que expõem o acervo da Peterlongo e peças doadas ou cedidas por pessoas da comunidade regional”, destaca Luiz Carlos Sella, sócio-diretor da Vinícola Peterlongo. As obras seguem em ritmo acelerado e com todo cuidado para preservar cada canto da empresa que reserva curiosas histórias desta trajetória precursora.

A visita terá início em uma sala de 600 metros quadrados. Nela, dividirão espaço pipas de madeira de 10 mil litros e objetos de vinificação utilizados pela vinícola no início de suas atividades, além de garrafas e rótulos antigos que montam uma linha do tempo. Painéis exibirão imagens antigas e informações relevantes na construção da história da Peterlongo e do vinho brasileiro. Um Ford 29, de propriedade do ex-presidente da Fenachamp e da CIC de Garibaldi, Pedro Carrer, é uma das peças confirmadas para habitar o museu e que já está nas dependências da vinícola.

Ao final do museu, uma escada conduzirá o visitante ao espaço de tanques de aço inox, seguindo para a sala de guarda onde os vinhos amadurecem em bordalesas de carvalho francês. Avançando, o turista acompanha o processo de guarda em uma cave onde o vinho já engarrafado repousa até chegar à mesa do consumidor. Antes de chegar ao varejo, ainda tem a passagem pela primeira cave subterrânea do Brasil, que reserva mistérios e a nostalgia de uma época de pioneirismo na elaboração do espumante. Ao fundo, um túnel histórico, que segue a direção do vento Minuano, criando, naturalmente, um ambiente com umidade, luz e temperatura ideais para a elaboração do produto.

A Peterlongo traz na bagagem feitos como o de ser a primeira vinícola brasileira a empregar mão de obra feminina, a Peterlongo também foi a primeira empresa da região a pagar salário mínimo aos seus operários na década de 1930, com a instauração das leis trabalhistas. Essas e outras curiosidades estarão presentes no trajeto percorrido pelo visitante.

Comunidade pode participar com peças
Enquanto as obras de revitalização do novo passeio seguem, a Peterlongo coloca em prática uma campanha para arrecadar peças históricas para o museu. Podem ser objetos datados entre 1915 e 1950, que tenham relação com o mundo do vinho. As pessoas podem doar ou ceder objetos raros, seguindo o exemplo de Carrer, que não tem data limite para estacionar seu Ford 29 em outro lugar. Todo acervo será identificado com o crédito de cada proprietário. Informações pelo sac@peterlongo.com.br ou pelo (54) 3462.1355.




Foto do carro – Crédito: Treissa Fagundes
Fotos objetos – Crédito: Acervo Peterlongo

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Vinho Brasileiro no Rock in Rio 2017 ... Vinícola Lídio Carraro/Faces do Brasil





Eu sou uma apaixonada pelo Rock in Rio...estive na primeira edição... ficou na memória e no coração. Assistir de perto aos ídolos distantes que chegavam num Brasil tão fechado.
O show do Queen...a voz de Fred Mercury fechando o primeiro dia com fogos de artifícios foi emocionante...inesquecível!
Claro, ao longo dos anos o evento mudou bastante, mas é normal que assim seja...mas todas as outras vezes que fui, achei o astral bem legal.
E agora, recebo esta notícia a ser comemorada...minha outra paixão...o vinho brasileiro também estarrá participando da edição de 2017. Amei a notícia...nosso vinho construindo seu caminho...para então ser tornar hábito. Saúde Brasil!!!

Vinícola com sede no Vale dos Vinhedos é responsável pela elaboração do vinho oficial do evento
Responsável pela elaboração dos vinhos oficiais de grandes eventos esportivos como as Olimpíadas Rio 2016, Copa do Mundo da FIFA, Rio Open Tênis, Stock Car 2010 e Jogos Pan-americanos Rio 2007, a Lidio Carraro Vinícola Boutique prepara-se para um novo feito. Desta vez, a vinícola situada no Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha irá estampar a marca Rock in Rio nos rótulos de sua coleção de vinhos Lidio Carraro Faces do Brasil.
O festival, que neste ano chega a sua 17ª edição, tem entre seus produtos licenciados joias, headphone, bolsas, artigos de moda e agora passa a contar também com vinhos da Lidio Carraro. A coleção Lidio Carraro Faces do Brasil foi escolhida para levar o selo do Rock in Rio por ser uma linha Premium, de estilo vibrante e versátil como o público do maior festival de música e entretenimento do mundo. Os vinhos da linha Lidio Carraro Faces estão disponíveis nas versões branco (Chardonnay), tinto (Merlot) e Rosé (Pinot Noir).
A conquista vem sendo muito comemorada pela empresa, especialmente por tratar-se de um evento musical de proporções mundiais e características bem diferentes das competições esportivas em que a vinícola vem marcando presença nos últimos anos. “Acabamos de "ocupar" o pódio das Olimpíadas e agora estamos com esta edição especial Rock in Rio, sempre promovendo a qualidade dos vinhos Lidio Carraro e do vinho brasileiro”, destaca Juliano Carraro, Diretor Comercial e sócio proprietário da vinícola.
Comprometida a elaborar somente vinhos de primeira linha, a Lidio Carraro é uma vinícola boutique de propriedade familiar guiada por uma Filosofia Purista de ‘mínima intervenção para a máxima expressão dos vinhos’. No ramo da viticultura há mais de cinco gerações, acredita que os grandes vinhos são obtidos através do máximo respeito à expressão natural da uva e do terroir de origem. Exporta parte de sua produção para mais de 20 países e seus vinhos conquistaram importantes reconhecimentos nos últimos anos por alguns dos mais influentes críticos de vinhos da atualidade.

Fonte: Vale do Vinhedos

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Avaliação Nacional de Vinhos em sua 25ª Edição abre inscrição para Degustador




Inscrições para degustadores abrem dia 29

Interessados poderão garantir vaga pelo site da ABE

O evento mais concorrido do Brasil pelos apreciadores de vinhos se aproxima.... a 25ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2017. 
Depois de inscritas pelas vinícolas, coletadas e avaliadas às cegas por enólogos, as amostras serão apresentadas para um público de 850 apreciadores, que degustará na taça 16 vinhos classificados entre os 30% representativos da safra. Este grande momento será no dia 23 de setembro. A corrida para garantir a vaga inicia às 8h30min do dia 29 de agosto pelo site da Associação Brasileira de Enologia (ABE) – entidade promotora – www.enologia.org.br.

A experiência, única no mundo, leva o participante a mergulhar no universo dos vinhos brasileiros. São mais de 8 horas de evento, entre abertura, degustação e comentários, homenagens, prova de espumantes e almoço. Um momento também de aprendizado e confraternização. Para o presidente da ABE, enólogo Edegar Scortegagna, é importante que o público fique atento ao período das inscrições, pois as vagas costumam esgotar no primeiro dia. “A Avaliação Nacional de Vinhos é a maior degustação de vinhos de uma safra do mundo e, por isso, um evento muito disputado. A paixão e curiosidade pelo mundo do vinho une centenas de pessoas de todo o Brasil e do exterior”, ressalta.

A 25ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2017 superou os números das quatro últimas edições, alcançando 332 amostras de 59 empresas. Até o dia 31 deste mês, os vinhos serão todos coletados nas vinícolas e durante o mês de agosto serão avaliados às cegas por um grupo de mais de 100 enólogos brasileiros. Com a chancela da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV) e da União Internacional de Enólogos (UIOE), as degustações seguem normas internacionais sob coordenação técnica da Embrapa Uva e Vinho, que sedia em seu Laboratório de Análise Sensorial a prova dos vinhos. A Avaliação também conta com o apoio do IFRS – Campus Bento Gonçalves e da Unipampa – Campus Dom Pedrito.

O resultado é compartilhado com o grande público no dia 23 de setembro no maior momento do vinho brasileiro. 16 amostras, classificadas entre os 30% representativos da safra 2017, são degustadas às cegas por todos, que somente ao final do evento ficam sabendo as variedades e vinícolas. Cada amostra é comentada por um dos convidados especiais que integram o painel de comentaristas. Assim, o evento segue seu caráter lúdico e educativo, permitindo a cada participante fazer sua própria análise e comparar suas impressões com as de especialistas no assunto.

O investimento para associado é de R$ 250. Não associados pagam R$ 310. A partir deste ano, a Fundaparque, administradora do Parque de Eventos onde ocorre a Avalição, passará a cobrar R$ 10 para o estacionamento. A cobrança será aplicada a todos os veículos que acessarem o parque, oferecendo cobertura de seguro, além de atuar com uma equipe responsável pela orientação e segurança do local.


Fonte: Conceito Comunicação
Foto: Jeferson Soldi




quarta-feira, 26 de julho de 2017

SET EXPO Mostra os Desafios e as Tendências Tecnológicas do Setor Audiovisual






Maior evento voltado para profissionais e estudiosos da área de broadcast e audiovisual da América Latina discute questões relacionadas à mudança de perfil do espectador, além de apresentar as novidades do mercado


O avanço da tecnologia tem revolucionado a forma como as pessoas consomem informação e entretenimento ao redor do mundo, e esse movimento tem impactado diretamente o setor de broadcast e audiovisual. Diante deste cenário de intensas mudanças e constante adaptação, o SET EXPO reúne profissionais vindos de todas as partes do mundo para discutir os desafios enfrentados pelo segmento.

O evento, que acontece dos dias 21 a 24 de agosto, no Pavilhão Vermelho da Expo Center Norte, é o maior encontro de negócios e de tecnologia de produção e distribuição de conteúdo audiovisual da América Latina, e um dos maiores do mundo. Este ano, 15 mil visitantes de diversos países devem passar pela feira para conferir as novidades das 160 empresas expositoras e suas mais de 400 marcas nacionais e internacionais.

“O setor audiovisual está no meio de uma revolução tecnológica e o SET EXPO é, no Brasil, a melhor vitrine sobre os impactos que essas inovações trazem na forma de produzir, comercializar e consumir conteúdo audiovisual. Na Feira, teremos os principais fabricantes globais e nacionais que exibirão os seus lançamentos e, no Congresso, estarão executivos da linha de frente no desenvolvimento e uso dessas tecnologias, como, por exemplo, o Google e a Amazon”, explica a presidente da SET, Liliana Nakonechyj.

Além disso, este ano a feira também terá o pavilhão Set Innovation Zone, desenvolvido especialmente para dar visibilidade aos projetos de startups que atuam no setor de audiovisual, buscando quebrar paradigmas comerciais e tecnológicos em qualquer etapa da cadeia de produção.

Conhecimento e inovação no 29º Congresso de Tecnologia

Paralelamente à feira, o SET EXPO também realizará o 29º Congresso de Tecnologia, que reunirá cerca de 1.500 participantes e 200 palestrantes para discutir as principais tendências tecnológicas para toda a cadeia de broadcast e audiovisual. 

“A importância do Congresso do SET EXPO reside no fato de que ele apresenta um mix brasileiro dos grandes tópicos que estão presentes nos eventos mundiais de tecnologia. Para que eles tenham uma maior correspondência com o mercado nacional, nós os adaptamos para que não deixem de atender às necessidades do nosso mercado, mas incluímos também os principais assuntos de tecnologia, como ATSC 3.0, transmissão em 4K/8K e novidades como drones, realidade virtual e realidade aumentada”, explica o diretor de Tecnologia da SET, Carlos Fini, responsável pela grade de programação do Congresso.

Sobre o SET EXPO

O SET EXPO é o maior evento sobre conteúdo e tecnologia de mídia da América Latina. A feira reúne em um só lugar as principais tendências tecnológicas para criação, produção, distribuição e transmissão de conteúdo audiovisual e oferece debates e informações sobre as principais perspectivas do mercado em âmbito mundial. 

Serviço:

Data:Congresso: 21 a 24 de agosto
Feira: 22 a 24 de agosto
Horário:
Congresso: 9h às 18h
Feira: 12h às 20h
Local:
Pavilhão Vermelho e Centro de Convenções do Expo Center Norte
Rua José Bernardo Pinto, 333- Vila Guilherme]
São Paulo- SP
Informações e credenciamento:


Fonte: 2 PRÓ Comunicação



segunda-feira, 17 de julho de 2017

Nova Fortaleza de Slow Food no Brasil para proteger o Mel de Abelha Jandaíra





Jandaíra é uma espécie de abelha exclusiva do bioma Caatinga, nas terras secas do semiárido. Seu nome em tupi “jandiá-ira” significa em tupi “abelha do mel”. Ela é uma abelha sem ferrão, grupo presente apenas nas regiões tropicais e subtropicais do planeta. A criação desse tipo de abelhas é atividade intimamente ligada aos costumes tradicionais da região nordestina do Brasil.
Nas terras secas do Povoado do Cabeço, em Jandaíra/RN, as abelhas nativas são criadas há várias gerações, tradição passada de pai para filho. Ela é fundamental para a polinização da Caatinga. Por este motivo, os jovens da Associação dos Jovens Agroecologistas Amigos do Cabeço - JOCA (que constituem a Comunidade dos Jovens Criadores de Abelhas Nativas do Rio Grande do Norte) lutam pela perpetuação dessa tradição, divulgando técnicas de multiplicação das colônias familiares, desestimulando a retirada depredatória de abelhas remanescentes em hábitat natural, pois conservando a Jandaíra, conserva-se a caatinga, conserva-se o povo. O reconhecimento do trabalho desta comunidade culminou na criação da Fortaleza do mel de abelha Jandaíra.

O município de Jandaíra é batizado com seu nome tão significativo foi sua presença e também em homenagem à profunda relação de seu povo com o manejo e produção do mel dessa espécie. Atualmente é conhecida como "a Cidade do Mel". Ele está localizado no território do Mato Grande, o principal berço genético da abelha. A grande incidência de enxames tem registros que remontam a meados do século XIX, tempo em que os tropeiros ali pernoitavam, levando lenha e carvão para o litoral, de onde traziam o peixe de sal preso. No caminho, buscavam o excelente mel dos troncos ocos das Imburanas. Com o tempo, pequenos “arruados” foram se formando na beira das estradas tropeiras, dando origens a municípios como Jandaíra, oficialmente fundada em 1964. Lá o mel da abelha nativa ganhou fama e status de "medicinal" na cultura popular. Mesmo em Natal, capital do Rio Grande do Norte, a referência ao mel é feita com muita distinção: "mel de Jandaíra é coisa dos deuses"; "gripe e resfriado se cura com mel de Jandaíra"; "quem passa em Jandaíra tem que trazer mel", diziam os mais antigos, que costumavam consumi-lo com farinha de milho.

Para ler mais sobre a Fortaleza e os 15 produtores, clique aqui.

Para mais informações, contate:

Responsável pela FortalezaAdriana Lucena (Referente Slow Food): aroeira.pimentas@yahoo.com.br
tel: +55 84 9670-3351
Francisco Melo Medeiros (Coordenador): francisco.jandaira@yahoo.com.br
tel: +55 84 8719-3892

Fonte: Slow Food International Press Office