quinta-feira, 28 de março de 2019

Região das Missões - Brasil



Este ano começou de maneira muito especial...conheci uma parte deste Brasil bastante peculiar, envolta em histórias que não nos contam na escola. 
Esse lugar é conhecido como a Região das Missões, no Rio Grande do Sul. Fica uns 525 km de Porto Alegre. Se você não estiver com disposição para conduzir, existem duas opções partindo de Porto Alegre: ônibus ou voo da Azul que chega em Santo Ângelo, considerada a capital da região missioneira.

Catedral Angelopolitana

Onde hoje é o estado do Rio Grande do Sul, no século XVII, existiu os 7 Povos das Missões, verdadeiras cidades fundadas pelos padres da Companhia de Jesus, conhecidos como Jesuítas e pelos índios Guarani. Essas "cidades" eram denominadas Reduções.

Naquela época, o "novo mundo" era dividido entre Portugal e Espanha, era o Tratado de Tordesilhas.
Com essa divisão de mundo, o mapa do Brasil era bem diferente do que conhecemos hoje. E é neste cenário, sob domínio espanhol, onde hoje estão os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, e nas fronteiras do Brasil, Argentina, Paraguay e Uruguay aconteceu uma das mais incríveis histórias da humanidade. 
Voltaire denominou este período como o triunfo da humanidade.






Hoje, o município de São Miguel das Missões guarda a mais preservada missão jesuítica do Brasil.  As ruínas do povoado, fundado no século 17, e o que restou da antiga Igreja de São Miguel Arcanjo impressiona pela grandiosidade da construção. Dá para se ter uma ideia de como deve ter sido tudo funcionando no seu período áureo...foram 150 anos de desenvolvimento. A ruína foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1983. 

A Cruz Missioneira de quatro braços




Como disse, eram 7 Povos, e hoje é possível visitar as outras cidades que fizeram parte como São Nicolau, uma cidade que cresceu no entorno das ruínas. Em São Nicolau vale a pena conhecer o "café de Cambona"...o café dos antigos tropeiros preparado pela Ana 
Paula.


Ruína de São Nicolau





Em São Luiz Gonzaga, terra do herói nacional, o índio guarani Sepé Tiaraju, existe a  ruína da redução de São Lourenço Mártir. O município também é conhecido por sua tradição musical...o berço da música missioneira.


Com a Família Ortaça. Pedro Ortaça, mestre da música missioneira


Próximo do município de Caibaté, há um lugar que recebe milhares de visitantes...o Santuário de Caaró e sua fonte de água milagrosa. Um local de devoção e fé.

Santuário de Caaró


Neste link é possível ter melhores informações sobre os municípios das  Missões...

Existem roteiros bastante variados, como a trilha da Lua Cheia, caminhadas em grupo, visita às aldeias Guarani (Guarani é sempre escrito no singular), o circuito internacional que visita as reduções da Bolívia, Paraguai e Argentina, cicloturismo.
Aqui você pode verificar o roteiro que mais agrada...


Pretendo voltar em breve para fazer a caminhada internacional englobando as reduções da Argentina, Paraguai e Brasil.
Uma outra coisa, a cuia de chimarrão é algo indispensável na região. Você sabia que herdamos esta cultura dos índios Guarani?


Árvore da Erva-Mate












quinta-feira, 14 de março de 2019

Vinhos do Brasil Treinamento On-Line Qualidade na Taça








Qualidade na Taça abre inscrições para treinamento online         Programa visa qualificar o atendimento, ampliar a cultura do vinho e a comercialização dos produtos vinícolas nacionais junto aos pequenos negócios. Serão disponibilizadas 4,1 mil vagas gratuitas

Estão abertas as inscrições para o treinamento online do programa Qualidade na Taça, realizado pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), por meio do convênio de Valorização dos Vinhos Brasileiros. O curso gratuito será direcionado aos profissionais de alimentação fora do lar e, de forma inédita, às pessoas interessadas em empreender no setor e ampliar seus conhecimentos sobre o mercado vinícola nacional. As matrículas devem ser feitas no site qualidadenataca.vinhosdobrasil.com.br.

Serão disponibilizadas 3,5 mil vagas para trabalhadores e potenciais empreendedores de qualquer lugar do Brasil e outras 600 vagas exclusivas para profissionais que atuam em bares e restaurantes – estes terão também aulas presenciais – de 32 cidades turísticas (veja relação abaixo), em oito estados brasileiros (Ceará, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo), além do Distrito Federal.

O treinamento online inicia na próxima quarta-feira, dia 20 de março, e cada participante tem até 30 dias para concluí-lo, a partir da data de matrícula.  As oito horas de qualificação serão divididas em oito vídeo-aulas, com metodologia própria, que tem curadoria da sommeliére Silvia Mascella Rosa. O aluno poderá acessar o conteúdo nos dias e horários de sua preferência. Ao final, o participante receberá um certificado de conclusão do curso online caso assista mais de 70% das vídeo-aulas, realize todos os quizzes e atinja, pelo menos, 70% de desempenho.

Presencial
Além da formação online, o programa também irá oportunizar gratuitamente treinamentos presenciais para os 600 profissionais de bares e restaurantes que assistirem as vídeos-aulas. O aprimoramento será realizado em dois turnos que, juntos, somam oito horas de qualificação. Serão promovidos mais de 45 workshops, nas 32 praças turísticas dos oito estados brasileiros e do Distrito Federal. As aulas presenciais iniciam na segunda quinzena de abril e seguem até outubro deste ano.

“O Qualidade na Taça busca ampliar a cultura e o conhecimento dos participantes sobre o setor e estimular novos estabelecimentos e profissionais a terem maior aptidão de trabalho com o vinho. Consequentemente, de forma consciente, também esperamos aumentar as comercializações de vinhos, espumantes e sucos de uva brasileiros no mercado interno junto aos pequenos negócios de alimentação fora do lar”, explica Oscar Ló, presidente do Ibravin.

O dirigente valoriza o apoio do Sebrae no projeto, que é realizado há cinco anos em parceria entre as duas instituições. Entre 2014 e 2016, 2,6 mil profissionais, de 1,3 mil estabelecimentos de 14 estados brasileiros, foram instruídos por consultores e sommeliers preparados com a metodologia do projeto.

“Estima-se que no Brasil existam 1,1 mil vinícolas, sendo que 90% delas são micro e pequenas empresas, e que cerca de 200 mil pessoas estejam envolvidas neste segmento. Alianças estratégicas dinamizam a nossa atuação e promovem a competitividade dos pequenos negócios de toda a cadeia”, salienta o presidente do Sebrae, João Henrique de Almeida Sousa.
Diego Bertolini, gerente de Promoção do Ibravin, explica ainda que nesta segunda fase do Qualidade na Taça, além das capitais, as capacitações presenciais serão desenvolvidas em municípios turísticos.

“Construímos a relação das cidades contempladas em parceria com as unidades estaduais do Sebrae, com o objetivo de valorizar o vinho brasileiro em regiões turísticas. Queremos desenvolver o vinho nacional com a gastronomia local. Os empresários serão beneficiados com uma comercialização maior e a valorização da enogastronomia do país”, pontua.



CONFIRA AS CIDADES CONTEMPLADAS NESTA EDIÇÃO:        
Ceará:
 Aquiraz e Fortaleza    
Distrito Federal: Brasília      
Mato Grosso do Sul: Bonito e Campo Grande        
Minas GeraisBelo Horizonte, Diamantina, Ouro Preto, São João del Rei, São Lourenço (Circuito das Águas) e Tiradentes     
Paraná: Curitiba, Foz do Iguaçu, Maringá e Morretes         
Rio de Janeiro : Búzios, Parati e Rio de Janeiro        
Rio Grande do Sul: Bento Gonçalves, Canela, Flores da Cunha, Garibaldi, Gramado e Nova Petrópolis
Santa Catarina: Balneário Camboriú, Caçador, Florianópolis, Garopaba, São Joaquim, Treze Tílias e Urussanga
São Paulo: São Paulo


Foto: Dandy Marchetti/Ibravin
          Mario Frazen

Fonte: Assessoria de Imprensa Ibravin: www.ibravin.org.br

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Dall'Onder chega em Garibaldi, a capital brasileira do espumante





Dall’Onder chega em Garibaldi

Dall’Onder Ski, quarta unidade da rede na Serra Gaúcha, entra em operação em março na Capital Brasileira do Espumante

Em quatro meses, a Rede de Hotéis Dall’Onder dobra sua representatividade na Serra Gaúcha. Depois de ter inaugurado o Dall’Onder Axten em Caxias do Sul em dezembro, agora é a vez do Dall’Onder Ski, em Garibaldi. 
O novo empreendimento, abre suas portas para turistas de lazer e de negócios em março com 125 apartamentos e um Centro de Eventos para 200 pessoas, passando a ser o maior hotel da Capital Brasileira do Espumante.

Localizado na antiga estação de esqui de Garibaldi, o hotel oferece uma vista privilegiada de toda a cidade.
 “A cultura regional sempre foi nosso oxigênio. Não entendemos turismo sem o que é nosso. Aprendi isso com minha mãe que administrava um hotel. Assim, nesses 38 anos, inovamos com projetos como os Caminhos de Pedra, Maria Fumaça, Que tal de bike?, Parque das Esculturas, entre outros, criando produtos para atrair os visitantes. Paralelo a isso, empreendemos na estrutura hoteleira e crescemos junto com o turismo”, destaca Tarcísio Michelon, diretor superintendente da rede. 

Quem chega no hotel é recebido por um emblemático chafariz externo, cercado por uma calha pensada especialmente para manter o espumante gelado. Ao redor, cadeiras montam um cenário de bar ao ar livre com vista para a cidade, tendo o pôr do sol ao fundo. 
O espaço é abastecido por um bar interno com lustres de vidro feitos à mão por artesãos locais, lembrando as borbulhas do Champagne. Isso porque foi em Garibaldi que foi elaborado o primeiro espumante brasileiro e a partir daí dado início à história da bebida no Brasil. A preservação dessa história estará evidente na exposição de objetos e na reprodução de imagens, inclusive da Estação de Esqui, assim como na presença de rótulos de diversas marcas da região. Já pensou?

O hotel ocupa a mesma área onde funcionava a Estação de Esqui de Garibaldi, inaugurada em 1970. A primeira pista artificial de esqui da América Latina era de plástico, o que garantiu destaque internacional. O fundador do local, Davi Santini, era um garibaldense apaixonado pela cidade e pelo esporte que conheceu em viagens à Europa. A pista principal chegou a ser palco de campeonatos e até das Olimpíadas Brasileiras de Esqui. A estação tinha ainda outras atrações como tobogã, bonecos de neve, teleférico e restaurante, além de uma vista privilegiada. O local fechou em 2001.
E agora resgatado.





Fonte: ConceitoComBrasil




quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Vindima da Uva Goethe 2019 Urussanga - Santa Catarina







Vindima Goethe 2019: Sul de Santa Catarina se prepara para a colheita da uva em janeiro

Vivências nos parreirais, degustações de vinhos, cultura, história, arte, enogastronomia e até voo de balão contemplam a programação

Cachos em processo final de maturação sinalizam para a aproximação do período da colheita das uvas no Sul de Santa Catarina. A atenção especial é voltada para uma rara variedade reconhecida pelo movimento internacional Slow Food. Na região Vales da Uva Goethe, território detentor da única Indicação de Procedência do setor vinícola do Estado, a época será enaltecida com a 11ª Vindima Goethe. A tradicional celebração ocorrerá de 18 a 20 de janeiro, no município de Urussanga. Anualmente a região recebe visitantes atraídos pelos encantos do enoturismo e de vivências singulares, bem como consumidores a procura de produtos diferenciados e únicos, como os vinhos brancos, frisantes e espumantes Goethe.
A programação da celebração contempla diversas atividades tradicionais como a colheita nos parreirais e piquenique, esmagamento das uvas com os pés, visitação e degustação nas vinícolas, além de uma imersão na praça central com venda de artesanatos e produtos coloniais, exposições e manifestações artísticas, celebração religiosa, homenagens e confraternização com o famoso tombo da polenta gigante, que ocorrerá na noite do dia 18 de janeiro com distribuição gratuita. Na praça central de Urussanga, na noite do dia 19 de janeiro, o município de Pedras Grandes irá apresentar atrações culturais.



Outras novidades foram programadas para esta edição. Na rua ao lado da Igreja Matriz, uma mostra contará a história e essência de uma vinícola centenária. A retomada de vôos de balão sob os parreirais será um serviço oferecido sob reserva antecipada pela agência de viagens DS Travel. Já na praça central ocorrerá o lançamento de produtos cosméticos derivados da uva e do vinho, conversas em dialeto no coreto e oficinas de cerâmica e desenho com artistas plásticos.
No espaço denominado “La Fontana”, próximo ao chafariz, bate-papo com especialistas sobre diferentes assuntos. Nos restaurantes, pratos elaborados especialmente para este período, além de degustações orientadas e harmonizadas de vinhos Goethe por uma sommelierè de São Paulo. Nas vinícolas, a continuidade do “Circuito das Artes” com exposições, oficinas e biodanza. Para mais informações, acesse o site Sympla, digite Vindima Goethe e garanta as reservas ou ligue para a Central de Informações Turísticas no (48) 3465 6238.
A 11ª Vindima Goethe 2019 é uma realização da Prefeitura de Urussanga por meio do Departamento de Cultura e Turismo em parceria com a Associação dos Produtores da Uva e do Vinho Goethe (ProGoethe), Prefeitura de Pedras Grandes, agência de turismo DS Travel, Epagri, Câmara de Vereadores de Urussanga e Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Urussanga.

UVA GOETHE
A história é rica e centenária. Foi na região sul de Santa Catarina, entre o mar e a serra, que a variedade de uva Goethe encontrou seu terroir há 120 anos, forte ligação com a imigração italiana. Solo, clima, altitude e relevo fazem este território ser conhecido como Vales da Uva Goethe, a primeira e única Indicação de Procedência do setor vinícola do Estado. Aspectos peculiares chamam a atenção se comparados a outras regiões vitivinícolas do mundo.Os solos são predominantemente arenosos, com subsolo rico em minerais e também argila. O clima é subtropical úmido com estações bem definidas. Uma perfeita combinação de fatores naturais que, segundo a sommelierè de São Paulo, Sonia Denicol, mais conhecida como Madame do Vinho, resulta em vinhos Goethe, frisantes e espumantes leves, muito frescos e aromáticos, aparecendo naturalmente notas de frutas brasileiras bem peculiares como, por exemplo, cupuaçu e guaraná. Além dos aromas brasileiros, é possível sentir toques salino e mineral que, combinados ao frutado e cítrico da uva Goethe, dão uma tipicidade toda brasileira aos vinhos. Os produtos apresentam jovialidade, novos conceitos e agradáveis surpresas.O território Vales da Uva Goethe compreende os municípios de Urussanga, Pedras Grandes, Cocal do Sul, Morro da Fumaça, Treze de Maio, Orleans, Nova Veneza e Içara. A Associação dos Produtores da Uva e do Vinho Goethe (ProGoethe) reúne a cadeia produtiva com o objetivo de elevar a imagem deste produto distinto e raro a fim de preservar, por meio do cultivo desta tradição feito por pequenos produtores, a identidade e cultura de descendentes de italianos no sul de Santa Catarina através da vinificação e harmonização com a gastronomia típica local.



Foto: Henry Goulart









quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Boas notícias para o Vinho Brasileiro






PREMIAÇÕES 2018
Medalhas no exterior crescem 80%

Prêmios saltaram de 168 em 2017 para 302 em 2018, sendo 210 para espumantes e 92 para vinhos

2018 começou bem e termina melhor ainda para o setor vitivinícola brasileiro. Depois de registrar uma excelente safra, com projeção de vinhos e espumantes diferenciados e desempenho já confirmado na 26ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2018, a Associação Brasileira de Enologia (ABE) comemora o avanço dos vinhos e espumantes nacionais no ranking de premiações internacionais com a conquista de 302 medalhas somente neste ano, um salto de 80% em relação ao ano passado que registrou 168 distinções.

O reconhecimento é internacional e veio de 26 concursos realizados em 13 países (Argentina, Brasil, Canadá, Chile, China, Espanha, França, Grécia, Hungria, Inglaterra, Itália, México e Suíça). Esta é a terceira melhor performance já registrada, ficando atrás apenas de 2014 com 388 e 2016 com 338 distinções. “Este reconhecimento é resultado de muito desenvolvimento e pesquisa. Nós, enólogos, estamos em constante aperfeiçoamento. Este trabalho começa no vinhedo e acompanha todos os processos na vinícola. Estamos fazendo a nossa parte e o resultado está aí para o mundo ver”, destaca o presidente da ABE, enólogo Edegar Scortegagna. A ABE esteve representada com 21 enólogos.

Para 2019, 20 concursos estão no calendário oficial da entidade, para onde deverão ser enviadas amostras. Este trabalho vem sendo realizado sob coordenação da ABE desde 1995. De lá para cá, já foram conquistados 3.943 prêmios.



Maior crescimento foi entre os vinhos tranquilos
Apesar de quase 70% das premiações conquistadas este ano serem para espumantes, o maior crescimento percentual é registrado entre os vinhos tranquilos, que passaram de 45 para 92 medalhas na comparação com o ano passado (105%). Do total, 55 são tintos e 37 brancos. “Isso demonstra que o Brasil vem sendo reconhecido não apenas pela excelência de seus espumantes, mas também pelos seus vinhos”, comemora Scortegagna.


RETROSPECTIVA PREMIAÇÕES – 1995 A 2018
Ano
Nº de condecorações
1995 a 2006
1.238
2007
109
2008
265
2009
202
2010
229
2011
146
2012
251
2013
164
2014
388
2015
143
2016
338
2017
168
2018
302
TOTAL
3.943





Fonte: Associação Brasileira de Enologia (ABE)

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Tour Armando Peterlongo, um passeio pela história do espumante brasileiro








Aos 103 anos, Vinícola Peterlongo, de Garibaldi (RS), abre as portas de seu novo complexo enoturístico, preservando a estrutura original da década de 1930

Caminhar entre paredes de basalto com 85 cm de espessura, sentir o aroma das pipas centenárias que ainda exalam o perfume característico do interior de uma cantina ou, ainda, ver de perto objetos históricos, utilizados na elaboração de vinhos e espumantes. Essas e outras experiências já podem ser vividas no novo complexo enoturístico da Vinícola Peterlongo, em Garibaldi (RS). O Tour Armando Peterlongo, inaugurado no sábado, 1º de dezembro, é um misto de tradição e modernidade.

Com o novo atrativo, o visitante pode conhecer a Peterlongo de ontem e de hoje. Este é mais dos investimentos que integra um ambicioso projeto de reposicionamento da marca que iniciou em 2015, ano de seu centenário. De lá para cá, muita coisa mudou. O trabalho feito a muitas mãos, fez renascer vinhedos, ressurgir aromas e sabores e reconquistar paladares mundo afora. Novos investimentos nos vinhedos, a estrutura da cantina ganhou em modernidade e tecnologia, os vinhos, espumantes e sucos de uva mudaram por dentro e por fora e as experiências enoturísticas, como o Wine Movie, por exemplo, recriaram um passado que fez história. “A Peterlongo é a memória viva da vitivinicultura brasileira. O Brasil precisa conhecer essa história, e nós temos obrigação de preservar e compartilhar tudo isso”, destaca o sócio diretor da empresa, Luiz Carlos Sella.

Mesmo com as mudanças, a estrutura original foi totalmente preservada. A marca que carrega a responsabilidade de ter elaborado o primeiro espumante brasileiro e a partir daí dar início à história da bebida no Brasil, vive uma nova fase, um período de redescobertas, de voltar a fazer parte dos melhores momentos na vida das pessoas. “O desafio é grande, mas o desejo de reviver essa história e surpreender todos que se relacionam com a marca é ainda maior”, celebra Sella.

O Tour Armando Peterlongo
O passeio inicia no Museu Peterlongo, que reúne peças e memórias relevantes da marca e da família, como a banheira utilizada pela família. No local, funcionava o Almoxarifado e era onde Armando Peterlongo guardava seus objetos pessoais. De lá, os visitantes são conduzidos para os tanques de vinificação de tintos, barricas e pelo espaço de guarda, além da cave subterrânea, até chegar à nova loja para um gran finale. O piso que abrigava a antiga expedição ainda guarda as marcas do tempo. Entre as paredes de basalto vive a estrutura original da primeira câmera fria da América Latina. Ali, neste ambiente carregado de memórias, é que a centenária Peterlongo implantou sua nova loja, unindo a tradição de ter elaborado o primeiro espumante do Brasil, em 1913, com toda inovação de quem quer fazer um vinho ícone brasileiro com reconhecimento mundial. São 300 m2 de área, divididos entre salas de degustação e uma capacidade para exposição de 1.354 garrafas, exibindo rótulos de todas as linhas de espumantes, vinhos e suco de uva.



O espaço eleva a exposição dos produtos, que ganham sofisticação num ambiente que harmoniza pedra e madeira. Os móveis foram projetados entre os pilares de basalto, sem interferir na planta original. Cada detalhe foi pensado de forma a enaltecer a história da marca. As portas da antiga câmera fria, com 15 cm de espessura e suas trancas de ferro, são as mesmas, e por elas o visitante agora terá acesso a duas salas exclusivas de degustação, uma delas chamada de sala secreta. Nesta, o caráter será mais intimista, onde estará resguardado parte do acervo de premiações. Mas a experiência da degustação também poderá ser vivida de forma mais descontraída e ampla em outro ambiente do varejo.



Ampla, a loja facilita a visitação diante de sua acessibilidade e também favorece a exposição dos vinhos e espumantes devido à luz e temperatura. O tour pode ser feito diariamente, de hora em hora. De segunda à sexta, das 9h às 17h30min. Aos finais de semana e feriados até às 17h. Recomenda-se agendamento para grupos pelo telefone (54) 3462.1355.





Texto: ConceitoCom






sábado, 27 de outubro de 2018

Casa Pedrucci - Espumantes Clássicos em Garibaldi










Visitar a Serra Gaúcha é sempre um prazer...e hoje quero matar a saudade deste meu lugar...

No interior de Garibaldi, a capital brasileira do espumante...percorrendo a bela estrada conhecida como Linha Presidente Soares, você encontrará um antigo e lindo casarão de pedra basalto...lá funciona a vinícola boutique Casa Pedrucci.



Somente um parêntese aqui...a pedra basalto é muito abundante na Serra Gaúcha, e no final do século XIX, foi muito utilizada pelos imigrantes italianos para construir suas casas, e principalmente os porões que proporcionavam uma temperatura amena e constante perfeita para elaboração de vinhos.
Se valendo de saber ancestral, Gilberto Pedrucci, o enólogo responsável e proprietário,  escolheu este lugar para elaborar seus espumantes.

É uma vinícola familiar, onde cada pessoa da família tem a sua função...juntos é melhor, somos mais fortes.

Ele e sua família sabem receber como ninguém...eu dei muita sorte, neste dia pude saborear um belo churrasco na companhia de amigos e dos belos espumantes da casa!


Aqui um Brut Rosé, Método Tradicional, 15 meses de garrafa, corte: Gamay, Merlot e Pinot Noir


Esta preciosidade é o Reserva Brut, Método Tradicional, 30 meses de garrafa, corte: Chardonnay, Pinot Noir, Riesling Itálico. Este, eu considero o corte clássico da Serra Gaúcha.
A cremosidade deste espumante fica na memória.


Gilberto Pedrucci, o enólogo responsável por estas borbulhas maravilhosas tem uma longa estrada na elaboração da bebida. Inclusive, é o único enólogo brasileiro a receber o título de "Chevalier" do Ministério da Agricultura Francês.
Detalhe, os espumantes têm reconhecimento internacional, premiados em importantes concursos, como o Vinalies, realizado na França.


                                                                     
Um abraço Famiglia Pedrucci!

@casapedrucci